Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Porto Alegre, 16 de Outubro de 2019. Aumenta a Fonte [ A + ]   [ A - ]  
 
08/07/2016

I Fórum sobre Tuberculose

Evento discutiu soluções para epidemia


Com a presença de médicos e também de enfermeiros, entre outros profissionais da saúde, foi realizado no dia 8 de julho, no Cremers, o I Fórum sobre Tuberculose, que contou com a participação de especialistas, gestores públicos e membros de unidades de saúde.

O evento foi aberto pelo coordenador das Câmaras Técnicas do Conselho, Jefferson Piva, que enfatizou a importância de debater e buscar soluções para mais esse grave problema de saúde pública.

Em seguida, o presidente do Cremers, Rogério Wolf de Aguiar, admitiu estar curioso para sabe o que houve para que a tuberculose, que parecia sob controle tempos atrás, tenha voltado de forma alarmante. “Esperamos que esse evento, que vem em boa hora, contribua de alguma forma para combater a doença.”

O médico Fernando Ebling, integrante da Área Técnica de Tuberculose da secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre, comentou que o fórum é um passo importante para o enfrentamento da epidemia. “Porto Alegre é a segunda capital com maior incidência de tuberculose”, lamentou, acrescentando a necessidade de campanhas midiáticas sobre o assunto.


Situação da tuberculose no Estado e no País

Com dez anos de trabalho no Programa Nacional de Controle da Tuberculose/Monitoramento e Avaliação, Stefano Barbosa Codenotti, começou sua palestra dizendo que a tuberculose ainda é um problema de saúde pública no mundo. Em 2014, foram registrados aproximadamente 10 milhões de casos. O Brasil continua sendo um dos países com maior carga da doença: “Em 2014, tivemos 63 mil novos casos, com 414 óbitos. A tuberculose é a terceira causa de morte por doença infecciosa, e a primeira entre pacientes com Aids”.

O percentual de cura em cada quatro pacientes é de menos de três. Os pacientes costumam abandonar o tratamento, que é de seis meses, no meio do caminho. Acre é o Estado com maior percentual de cura no país. O Rio Grande do Sul está abaixo do percentual de cura. Um em cada paciente no RS com tuberculose é portador também de HIV.

O médico Maurício Vieira Rodrigues, do Suporte Técnico e Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do RS, fez apresentou um histórico da luta contra a tuberculose no Estado, dizendo que no começo dos anos 70 foi criado o Programa de Controle de Tuberculose. Na opinião do palestrante, a doença precisa ser combatida a partir de quatro pilares: assistência, vigilância, políticas públicas e divulgação.

Rodrigues exibiu uma série de gráficos apontando o desenvolvimento da doença no Estado e os percentuais de cura entre 2010 e 2014. “Nos últimos cinco anos caiu o percentual de cura”, lamentou. A região metropolitana está sempre entre os pontos com maior incidência de tuberculose.

Institucional Câmaras Técnicas Comissões de Ética Conheça o CREMERS Contas Públicas Delegacias Diretoria Palavra do Presidente Vídeo Institucional História Cremers

Serviços Área do Médico Busca Empresas Busca Médicos Ativos CBHPM Concurso Emissão de Boleto Empregos Eventos Inscrição de Empresas Licitações Pareceres e Resoluções Perguntas Freqüentes Pessoa Jurídica Propaganda Médica Registro de Especialidade Médica

 

 

Imprensa Artigos Assessoria Informativo Cremers Notícias Twitter

Publicações Apresentações para Download Biblioteca Código PEP Regimento Interno dos Corpos Clínicos

 

Contato Fale com o CREMERS Fale com o Presidente Ouvidoria

 

 

 

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul - Copyright 2019 ©
Av. Princesa Isabel, 921 - Bairro Santana
Porto Alegre - RS - CEP: 90620-001
Telefone: (51) 3300-5400 e 3219-7544
Fax: (51) 3217-1968
E-mail: cremers@cremers.org.br
Horário de Atendimento:
De segunda-feira a sexta-feira
Das 08h40min às 18h00min